Moço, dos vinte e tantos

00:10


Ele pende o pescoço e sorri.

Estava distraída, tentando me aconchegar ao ambiente. E, quando dou por conta, me pego totalmente vidrada em você. Admito, no primeiro instante me senti um pouco constrangida por estar tão boba. É comum sair por aí e ter aquelas paixonites de três segundos, daquelas que logo passa, pois sabes que foi apenas o acaso. Mas em você, meus olhos começaram uma incessante busca pelos teus traços. Isso leva a minha imaginação bem mais além do que eu gostaria. Te deduzo. Te exclamo. Te interrogo, mentalmente. Nem sei porque estou pensando nisto. Rio de mim mesma.

Mas sabe. Ele tem esses olhos tão adoráveis, que nem ele mesmo deve saber. Ele os fecha lentamente e sorri, com os lábios entreabertos, deixando o pescoço totalmente vulnerável, truque inteligente. Ele põe a mão na nuca, fica sem jeito, e olha com os olhos cerrados. Peculiares. Tipo chocolate meio amargo, doce amargo, misterioso, que atrai. O jeito que ele leva a mão aos cabelos e ajeita entre os dedos, para trás. A maneira em como toda a expressão do seu corpo se sobressai apenas no sorriso, largo, de canto, meio tímido, inteiramente cativante. Posso imaginar o timbre da sua voz. Um a zero pra você, moço.

O suéter dele é Francês. Perfume implicante. Gosta de super heróis, mas na maior parte do tempo, ele é um. Tem esse jeito de cativar por aí. Carrega esse charme de menino, moço, homem, presença intrigante. É engraçado como meus olhos percorrem por você, em busca de algo. Já se passaram trinta e um minutos. Deve estar na página dezesseis do seu livro, do qual ainda não consegui descobrir o nome. Tem jeito de quem lê suspense com ficção científica. Mas adora um clichê não assumido, também. Já saquei em você, inteligente e carismático. Enigmático. Eu poderia estar checando as redes sociais, ouvindo as conversas alheias, mas não. Estou a olhá-lo e não consigo desviar. Sabe, até o jeito que arrumas o óculos, nessa altura, me prende. 

Acho que estou encrencada. Já sinto meu estômago borboletar. Já imaginei a nossa tarde de domingo e o quão seguro deves ser o seu abraço. Suspiro. Preciso voltar pra realidade. Não sei o que tens em você. Mas deixa eu te contar um segredo bem baixinho:

Moço, dos vinte e tantos, acho que me apaixonei. Assim, de mansinho, enquanto você sorria.

You Might Also Like

18 comentários

  1. Que fofura de crônica, adorei!
    http://www.adoravelcloset.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba! Que bom que gostou, Eduarda!

      Beijo <3

      Excluir
  2. Amei a parte que o moço gosta d super-heróis 😂 amei Parabéns ♡
    Criandoomeuestilo.blogspot.com
    Simjesusnosama.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua lindaaa, obrigada!
      Teu blog é muito fofo <3

      Beijinhos!

      Excluir
  3. Que texto lindo <3 <3

    www.garotasenxaqueca.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carolineee <3
      Fico feliz que tenha gostado!

      Beijocas

      Excluir
  4. Own que fofinha essa crônica <3
    Fiquei curiosa para saber se o moço e moça se conhecem depois, você escreve muito bem, parabéns!
    Beijão e sucesso!

    garotabibliotecaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meninaaaa, me deu uma ótima ideia em fazer um "parte 2"!
      Obrigada, viu?!
      Adorei o conteúdo do teu blog!

      Beijos <3

      Excluir
  5. Obrigada por mandar o endereço do seu blog! É maravilhoso, haha. E essas paixões ai no transporte público acontecem aos montes, comigo então... Já planejei até casamento hahaha

    http://www.sabrinando.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, comigo também! Hahah
      Muito obrigada, Sabrina! Fico feliz que tenha gostado <3
      Já acompanho o teu blog e adoro!

      Beijocas

      Excluir
  6. Moço de vinte e tantos... quem tu és?

    Gente, sério, meu Deus. Acho que todas as vezes que venho no seu blog, sinto isso. Esse misto de emoções e essa vontade de falar para você: você arrasa!

    Consegui "ver" esse moço na minha frente perfeitamente bem, e até, sentir esse amor que era para ser momentâneo.

    Débora, não deixe de escrever, ok? Você não sabe o quanto suas palavras valem.

    Grande beijo!

    Sonhos na Bolsa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mulher, quer me matar de alegria?
      Gratidão enorme em ler isso. Muito obrigada por cada palavra, são elas que fazem eu continuar escrevendo.

      Beijão! <3

      Excluir
  7. esse texto é uma amor <3

    http://www.dosedeestrela.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Amei o texto, lembrei de muitas coisas e me bateu saudades!
    Bjs,
    http://contosdacabana.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidália, fico feliz que tenha gostado.
      Beijo ♥

      Excluir
  9. Amei! Até eu me apaixonei...

    ResponderExcluir