Amei por nós dois

12:34


Eu era um passatempo. Você encontrou em mim alguém que, quando não tinha mais ninguém pra te ouvir, era eu quem estava ali. E todas às vezes eu te trouxe pra perto, sabe por quê? Porque o meu corpo carregava esse amor vulnerável por você. Eu olhava para os teus olhos cabisbaixos e sentia a necessidade de te acolher, porque eu sabia que só eu poderia te curar da dor daquele momento. E, sentir tua respiração se acalmar no meu colo, me invadia por dentro e me matava a cada segundo, um pouco mais.

Eu não pude escolher. Não era eu quem controlava meus instintos, eu desisti de mim, por você. Eu estava bem, no meu lugar. Mas você veio com esse jeito de quem precisava de um pouco mais e me levou junto com você, nessa confusão que é te amar. Meu orgulho ficou no chão, pisoteado, esquecido, enterrado. Qualquer erro teu não superava o medo que era de ficar sem você. Tornei-me escrava das tuas manipulações. Tu me tinhas nas mãos.

Esqueci das coisas que poderiam me fazer feliz, mais do que você. Teus ciúmes, teus jogos me desestruturaram. Dos estudos, do trabalho, dos amigos, da minha família, das coisas que eu gostava, lutei contra as palavras de todo mundo, por você. Eu tinha tudo, eu tinha um sorriso no rosto todos os dias. Pra você. Eu me esforçava, eu juro, pra te ter comigo. Pra fazer você enxergar, que era eu quem estava ali, quando o mundo todo batia a porta na tua cara.

E você sacou tudo. Observou os fatos. Sabia que me tinhas, que carente de amor, tu não ficarias. Sabias que eu estaria ali acima de qualquer circunstância. Hipótese demasiada. Você achou que eu não cansaria de te esperar. Que eu não sentiria o sono de todas as noites perdidas por você, enquanto tu vivias tua vida, particular. Eu era o meio termo. Não me trazias pra dentro, totalmente, da tua vida. Escondia-me da tua realidade, mudava a rota pra não cruzar com ninguém dos teus conhecidos, quando estivesse comigo.

Estava ficando tão difícil continuar. Minha mente lutando contra as necessidades do meu corpo. Do teu corpo. Eu sabia que precisava me livrar desse amor mesquinho. Eu sei que, apesar de tudo, você não foi ruim pra mim, se não, eu não teria aguentado por tanto tempo. Você vinha com seus olhos lindos, tuas mãos me envolvendo, o toque dos teus lábios arrepiando minha pele. E eu já não me pertencia mais. A frieza estava dentro do teu peito. Estava nas tuas palavras de quem pouco se importava se estava bom pra mim. Tu não mudavas, mas queria que eu me reinventasse por você. 

Doía tanto. Uma mistura de mágoa, lágrimas de raiva, com a sutileza daquele amor. Eu demorei pra entender. Confesso que perdi muitas noites ainda, depois daquele dia em que resolvi te escrever uma carta e deixá-la escorada no porta-retrato no lado da tua cama, com a foto do dia em que nos conhecemos. Me senti covarde em ter que encarar teus olhos, então te escrevi.

“[...] É triste quando um amor acaba. Mas é mais triste ainda, quando a gente se acaba por um amor. Se cuida.” Encerrei.

Eu entendo você. Quando o amor é grande demais, a gente se assusta. Se recolhe, se encolhe. Nosso maior erro é em achar que isso será eterno. Eu te amei sem desventura alguma, amei por nós dois. Você se acomodou. E assistiu a isso. Com você eu aprendi o que é amar, o que é amor, o que é amar-se. Na primeira pessoa do singular. Aprendi também, que ele acaba. E devemos saber decretar até onde vamos sofrer e até onde será o álbum de boas recordações. E hoje, você olha pra trás, e me entende. Você aprendeu a sentir por mim exatamente o que eu sentia por você. E neste sucinto fato eu me vejo em você.

Só que agora. Não tem mais nada que te pertence aqui.

You Might Also Like

10 comentários

  1. Infelizmente me vejo nesse texto, mas gostei do jeito que você escreve.
    http://srtanikkie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É difícil de lidar... Né?!
      Muito obrigada <3
      Gostei do teu blog e dos teus textos, também.

      Beijocas!

      Excluir
  2. Você escreve muito bem!
    Parabéns mesmo ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii, sua linda!
      Muito obrigada <3

      Excluir
  3. Débora!

    "É triste quando um amor acaba. Mas é mais triste ainda, quando a gente se acaba por um amor. Se cuida."

    Sério, na boa, mulher, não escreve coisas assim. Se me virem chorando emocionada agora direi que foi um cisco que caiu no meu olho, e você confirma, ok? haha

    Que escrita mais linda e envolvente! Não conhecia seu blog, agora já não quero mais sair daqui para não perder mais essas palavras tão lindas que tu escreve.

    Grande beijo!

    Sonhos na Bolsa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ok! HAHAH
      Quase não consigo me conter de tanta felicidade com o teu comentário, gratidão enorme saber disso.
      Muito obrigada, beijão! ♥

      Excluir
  4. Você escreve muito bem, ótimo texto, infelizmente me define em algumas partes. :(
    Parabéns e sucesso!!
    www.papoentredivas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que existe o tempo, né?!
      Obrigada, Lu!
      Beijo ♥

      Excluir
  5. Eu fico tentando não comentar todos os seus textos sabe? É difícil são muito bons. Amei!

    www.sabrinando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabrina ♥
      Faço das tuas, as minhas palavras!
      Obrigada pelo carinho.

      Excluir