Flores, café e um cartão

13:45


Ele demora um pouco mais do que dez minutos para visualizar a minha mensagem, fico olhando fixamente para o online que não torna em um visto por último e, muito menos, um esperançoso digitando. Nesse sucinto momento, minha cabeça me fulmina de pensamentos. Em vingança pela irritação que me fez sentir, demoro o dobro de tempo para respondê-lo.

Com meias palavras, ele responde somente o essencial e, tampouco se importa em revidar a pergunta. Fiquei esperando por um “E você?”, que não virá. Repreendo-me. Apelo para um “Boa noite” e ponto final. Ele me questiona o porquê de estar assim, eu digo que não é nada, apenas o dia que foi difícil. E então, a noite se encerra mais uma vez fria e distante. Desinteressante.

Abro minha playlist, e afundo em pensamentos. Quatro horas da manhã e eu ainda estou aqui, temendo às lágrimas de cada notificação de mensagem dele. Ele me conhece. “Desculpa, está aí? Podemos conversar?”, uma atrás da outra. Tão inconsequente, luta para fazer que não se importa e depois volta atrás. Não abro, não agora. Eu preciso pensar nas palavras certas para dizer, não posso o metralhar de interpretações incrédulas. Melhor dormir. Tentar.

O dia posterior amanhece igual ressaca. Acordar com a saudade antecipada, abrir os olhos e deixar amortecer no peito que a pessoa que é capaz de lhe ferir, é a mesma que poderá curá-lo. As falhas invadem o quarto. Os orgulhos caem à tona. Estamos à beira do precipício, e nós sabemos disso.

Por que sofrer de amor? A lógica é simples e a decepção é mútua, mas não terna. Não estará fazendo mal algum para alguém se dizer que não o ama mais, essa é a coisa certa a se fazer, amar sozinho é o que machuca. Mas se ainda é amor, volte atrás. Peça desculpas e mostre que se importa. Perdoe.

Devolver na mesma moeda é prazeroso para o cérebro, mas não para o coração. “Abre a porta”: flores, café e um cartão. “Bom dia, amor”, uma nova notificação.

You Might Also Like

4 comentários

  1. Que texto lindo! Ameiiii ❤
    Amar sozinho dói mesmo. Eu me identifiquei ai nesse texto há uns anos atrás... Kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é fácil, né?! Hahah
      Fico feliz que tenha gostado, muito obrigada! ❤

      Excluir
  2. Que texto, meu deus!
    A parte em que você diz: "a pessoa que é capaz de lhe ferir, é a mesma que poderá curá-lo" descreve muito o meu relacionamento. Ele cura todas as minhas dores, mas ele também é motivo de boa parte delas. Acho que estamos juntas nessa.

    literarizandomomentos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei o quão difícil isso é... Esses momentos exigem muitos cuidados e devem serem conversados!

      E obrigada pelo elogio, Milena! Grata por ter gostado ❤

      Excluir