Alguém me roubou de mim

07:11


De repente você se pega pensando nas coisas que, pretensiosamente, poderiam lhe fazer feliz ou, talvez, revive momentos que algum dia já lhe proporcionaram plena alegria. Em segundos a sua mente viaja para um mundo de saudades com fotos da velha infância penduradas em um varal com prendedores de madeira, você escuta as risadas, sente os cheiros, percebe como as folhas das árvores se moviam ao canto dos pássaros que voavam livres de um galho para o outro. Coração leve.

- Quem me roubou de mim?

Coisas banais e simples das quais você costumava passar o tempo, hoje, já não preenchem mais. É exatamente aí a interrogação. Assistir um filme parece entediante, ler um livro virou desinteressante, ir aos lugares que lhe fazem feliz se tornou desnecessário, fazer nada é o que você faz, nada enquanto checa as redes sociais e alimenta sentimentos corruptos dentro de você. Já vou avisando, isso não responderá a sua questão.

Não se destrua achando que não é suficiente porque viu alguém realizando algo primeiro que você. Pense que cada coisa tem o seu tempo e a sua devida forma natural de acontecer. Nem sempre você terá todas as respostas e muito menos irá sair ilesa de qualquer tentativa de viver. Mas é preciso se reconstruir à cada queda e se reconhecer diante do vendaval. As coisas nem sempre são como aparentam ser. Então não seja traiçoeira com você mesma, não sabote as suas emoções com negativismo, cultive a sua essência.

Você tentou, mas não foi, não é, não era para ser. Talvez não agora, talvez no futuro, talvez nunca. É difícil aceitar a perca de uma batalha, mas errar não é, supostamente, sinônimo de falha, mas sim de tentativa. Enquanto você está tentando é porque ainda não desistiu, é porque ainda existe uma pequena faísca dentro de você e acredite, ela será, suficientemente, a sua maior força.

Olhe para você nesse exato momento. O que te fizeram? Por que você não consegue voltar? Por que parece tão sacrificante repousar a sua mente sem que os pensamentos sublimes venham aterrorizar? Deixe esvair, desamarre as vendas que cobrem os seus olhos e impedem de enxergar as coisas com ternura, se reconheça e volte para você. Talvez você não seja a mesma depois da queda, mas essa é a sua resposta. Somos seres lapidáveis e as cicatrizes que se esboçam sobre a sua alma terão poder para curar, primeiramente, à você próprio e, depois, para quem lhe roubou de você mesma. Perdoe.

Sinta a leveza das coisas e retorne para o seu habitat interior. 

"Alguém me roubou de mim", isso não importa mais.

Devolva-se, você é a única que poderá fazer isso.

You Might Also Like

10 comentários

  1. Ai, Débora <3
    Como é que pode você escrever tão bem? Amo seus textos num nível que ó <3 ainda quero comprar um livro seu (e ganhar autógrafo!).
    Parece que alguns dias (principalmente os de transição) realmente são mais difíceis do que outros, e o apego no passado, além da idealização de um futuro que nunca chega, só pioram a situação. Nesses momentos, a única coisa a fazer é respirar fundo, manter acesa essa luz que ainda pulsa dentro de nós e seguir em frente, muito provavelmente não sendo mais as mesmas de antes. E isso é maravilhoso.
    Beijos!

    claramenteinsana.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que comentário LINDOOOOO! Eu fico honrada pelas tuas palavras, Du.
      "Nesses momentos, a única coisa a fazer é respirar fundo, manter acesa essa luz que ainda pulsa dentro de nós e seguir em frente, muito provavelmente não sendo mais as mesmas de antes. E isso é maravilhoso."
      Essa é a nossa faísca, e realmente: é plenamente maravilhoso!
      Obrigada sempre ❤

      Excluir
  2. Eu estava escrevendo um texto justamente sobre isso... Me vi todinha nesse texto, vou até salvar pra ler sempre, hahahah. Você escreve muito bem, parabéns.
    www.charmedemenina34.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério?! Que legal ❤
      Fico muito feliz que tenha gostado, obrigada!

      Excluir
  3. Caramba, que texto, passei exatamente por um momento assim e o pior era ficar me culpando sempre por isso, por ter me perdido de mim. Obrigada, eu preciso acreditar e viver na minha própria essência!

    Você me devolveu parte de minha esperança, continue assim, um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que fofa! Tenho certeza que tu tens toda a força necessária para superar, lembre-se da pequena faísca, ela é suficiente.
      Obrigada ❤

      Excluir
  4. Caramba Débora você tem muito talento sério estou passando por esse momento tmde tentativa,e as vezes a gente se sente tão fraca mas mesmo assim continua tentando, acho que é isso que nós faz fortes.
    Sério não pare de escrever amei muito o texto!

    https://euhumanaefinita.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba, que comentário lindo! Obrigada, Monique. Teus escritos são incríveis também!

      Super beijo ❤

      Excluir